Fitoterapia e Plantas Medicinais

A fitoterapia tem como finalidade estudar as plantas medicinais e as suas funções no tratamento de doenças. Enquanto a farmacologia isola o princípio ativo, que é a substância responsável pelos efeitos terapêuticos que pode ser encontrada nas plantas medicinais. Estas são cada vez mais utilizadas, mas é importante saber que as plantas, assim como os medicamentos, comportam riscos para a saúde. Por isso, é essencial obter uma informação clara e correta antes de um tratamento com base na fitoterapia e plantas medicinais. Ou seja, conhecer estes produtos e as suas utilizações, de maneira a prestar o melhor aconselhamento ao cliente, é de grande importância.

No final deste curso, o formando deve saber identificar os benefícios e riscos do uso dos produtos de saúde com base na fitoterapia e plantas medicinais. Vai saber fundamentar o aconselhamento e a dispensa destes produtos e conhecer a problemática das interações entre os diferentes constituintes bioativos, bem como os possíveis efeitos indesejáveis.

A forma mais comum de as pessoas utilizarem as plantas medicinais é seguindo métodos tradicionais. O uso de plantas para tratar doenças remonta aos primórdios da humanidade. Mas saber manipular, conservar e preparar cada tipo de erva ou remédio dela derivado é fundamental para garantir o efeito desejado. São usadas no quotidiano nas mais diversas situações, em chás e infusões, suplementos alimentares, banhos, inalações, massagens com óleos ou cremes, sabonetes, loções, etc.

Fitoterapia e plantas medicinais: o que é natural é bom, mas é preciso cuidado

A crença de que tudo o que é natural é inócuo está profundamente errada. As plantas utilizam químicos para se defenderem ou para atraírem insetos e aves que intervêm na polinização. Portanto, algumas das substâncias que produzem podem ter efeitos positivos no organismo humano, enquanto outras provocam danos graves.

O uso crescente das plantas medicinais e dos seus derivados exige uma abordagem cuidada e detalhada, para que se possa colher os seus benefícios em segurança. Estes produtos estão acessíveis a todos, nos supermercados, na internet, em lojas de especialidade. Isso torna mais importante ainda identificar corretamente e saber utilizar com segurança, com base no enquadramento científico.

Também é importante distinguir entre as próprias plantas medicinais e a fitoterapia. Os produtos fitoterapêuticos são remédios, que passam por uma rigorosa avaliação de segurança e eficácia em seres humanos, com uma concentração de ativos padronizada. Isto nem sempre acontece com as folhas usadas em infusões.

Atualmente, a fitoterapia oferece medicamentos de preparação farmacêutica sob a forma de extratos, pomadas, cápsulas, ultradiluições e, de forma industrializada, com extratos puros e homogéneos da planta. Usam como matéria-prima as folhas, caules, raízes, flores e sementes de plantas.

Muitas destas plantas com poder medicinal, contêm substâncias venenosas ou tóxicas. Portanto, têm de ser usadas doses menores. Grandes quantidades de substâncias desconhecidas podem provocar alergias, cólicas abdominais, diarréias, vómitos, entre outros sintomas.

Válido para efeito do cumprimento das 40 horas de formação obrigatória de acordo com o Código do Trabalho.

Quero saber mais

Quero saber mais…

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Telefone (obrigatório)

Curso que pretendo conhecer melhor

Cidade em que tenho interesse